Minha foto
Zé da Velha, o mais conceituado trombonista de choro em atividade, ganhou o apelido dos seus mestres Pixinguinha, Donga e João da Bahiana. Tocou com Jacob do Bandolim, Valdir Azevedo, Copinha , Abel Ferreira e Joel do Nascimento e junto com Paulo Moura animou muitos bailes de gafieira, levando nossa música a vários paises. Fez base dos discos de Beth Carvalho, Martinho da Vila e muitos outros. Silvério Pontes é filho de trompetista, nasceu apaixonado pelo instrumento tendo iniciado a carreira de trompetista aos oito anos de idade.Teve sua formação em banda de música no interior do Estado do Rio de Janeiro, sendo o único trompetista brasileiro da atualidade que se dedica ao Choro , gênero com uma linguagem brasileiríssima, tendo participado com vários artistas importantes da Música Brasileira como Tim Maia, Luís Melodia e outros tantos.A dupla é considerada pela mídia como a “MENOR BIG BAND DO MUNDO" pela sonoridade reproduzida pelos seus respectivos instrumentos. Da admiração e da amizade marcadas entre esses dois músicos,esse ano fazendo 25 anos de carreira, vamos deixar aqui um pouco dessa história...Sejam Bem Vindos!

Zé da Velha e Silvério Pontes

terça-feira, 10 de agosto de 2010

"Brasileirinho" Grandes Encontros do Choro Contemporâneo” Dias 13,14 e 15 em Curitiba, e Rio de Janeiro 17 e 18, no Teatro da Caixa.




Um show raro, destes que se guarda para sempre na memória. Assim é “Brasileirinho – Grandes Encontros do Choro Contemporâneo”, que reúne grandes artistas da música instrumental brasileira, a convite do Trio Madeira Brasil. O Trio convidará ao palco os músicos Yamandu Costa, Zé da Velha, Silvério Pontes, Henrique Cazes, Pedro Miranda, Beto Cazes, Marcos Suzano, Jorginho do Pandeiro e Rui Alvim. O show é a seqüência lógica ao longa-metragem “Brasileirinho – Grandes Encontros do Choro Contemporâneo”, do diretor Mika Kaurismaki. O show é uma produção da Rob Digital e Girassol Produções e az temporada em Curitiba no Teatro da Caixa, nos dias 13 e 14 de agosto, às 21 horas, e 15 de agosto, às 19 horas.

Alternando-se em diversas formações, os músicos tocarão desde clássicos do choro, como “Assanhado” (Jacob do Bandolim), “Brejeiro” (Ernesto Nazareth), “Carinhoso” (Pixinguinha/ João de Barro) Machucando (Adalberto de Souza), até composições contemporâneas, como “Choro Louco” (Yamandu Costa) e “Choro da Bisa” (Zé Paulo Becker). A magia e paixão desta música foram mostradas em toda sua opulência em um show no Teatro Municipal de Niterói e no Canecão, no Rio de Janeiro. Já o documentário Brasileirinho foi mostrado em mais de 30 países, onde participou de festivais, e foi exibido em circuito de cinema e televisão, sempre aclamado pelo público e pela mídia.


No filme, o diretor Mika Kaurismaki mostra a alma e a vitalidade do choro, primeiro gênero musical urbano do Brasil, e seu papel no cotidiano social do Rio de Janeiro. É também o primeiro longa-metragem a mostrar a nova e promissora geração de músicos brasileiros que está conquistando salas de concerto e casas noturnas com uma inovadora roupagem do choro. Trafegando entre o tradicional e o moderno, este gênero musical vive hoje um verdadeiro renascimento, empolgando públicos de todas as idades e classes sociais.

O filme gira em torno do grupo Trio Madeira Brasil, formado por Marcello Gonçalves, Zé Paulo Becker e Ronaldo do Bandolim, e uma série de convidados especiais que representam a velha e a nova escola do choro: Yamandu Costa, Zé da Velha e Silvério Pontes, Paulo Moura, Teresa Cristina, Guinga, Joel Nascimento, Zezé Gonzaga, Elza Soares, Mauricio Carrilho, Luciana Rabello, Carlinhos Leite, entre outros.

O show “Brasileirinho– Grandes Encontros do Choro Contemporâneo” traz no elenco direção musical de Marcello Gonçalves. No palco, músicos consagrados como o Trio Madeira Brasil (formado por Marcello Gonçalves- violão de 7 cordas, Zé Paulo Becker- violão e Ronaldo do Bandolim- bandolim), Yamandu Costa- violão de 7 cordas; Zé da Velha- trombone; Silvério Pontes- trompete; Henrique Cazes-cavaquinho; Beto Cazes- percussão; Marcos Suzano- pandeiro; Jorginho do Pandeiro- pandeiro; Rui Alvim- clarinete e Pedro Miranda- voz.

Serviço

A apresentação tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e é uma realização da Rob Digital e produção da Girassol Produções. A produção local é de Alvaro Collaço Produções. Ingressos estão à venda na bilheteria do Teatro da CAIXA, Rua Conselheiro Laurindo, 280, a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada). A bilheteria do Teatro abre de terças às quintas-feiras, das 12h às 19h; às sextas-feiras das 12h às 21h; aos sábados das 16h às 21h e aos domingos das 16h às 19h. Informações pelo fone 2118-5111.
www.caixa.gov.br/caixacultural

Nenhum comentário:

Postar um comentário